Utilizamos cookies para melhorar a experiência no nosso website. Ao prosseguir com a utilização deste website indica que concorda com a nossa políticas de utilização de cookies. Obtenha mais i

10 Regras de Ouro para a Rega

Para evitar que as suas plantas murchem durante o verão, elas precisam de água abundante. Mas qual a quantidade a usar, com que frequência regar e por onde regar (por cima ou por baixo)? Aqui encontra alguns factos rápidos e úteis para regar as suas plantas.

Regra n.º 1: Mantenha a humidade uniforme

A maioria das plantas depende de humidade uniforme. Porém, deixar a terra secar ligeiramente antes da rega promove o crescimento das raízes das plantas.

Regra n.º 2: Regue mais esporadicamente, mas eficazmente

No canteiro, geralmente é suficiente uma a duas sessões de rega por semana: é melhor regar mais esporadicamente com água abundante do que regar frequentemente com pouca água.

Regra n.º 3: Regue ao fim da tarde ou de manhã cedo

Quando rega terra arrefecida ao fim da tarde ou à noite, evapora menos água do que se o fizer na terra quenta durante o dia. Além disso, as plantas conseguem retirar a água de que precisam antes de chegar o calor no dia seguinte.

Regra n.º 4: Mantenha as folhas secas

As folhas molhadas ficam doentes. Se ficarem molhadas durante a noite, as folhas podem desenvolver bolor. As folhas que são molhadas ao sol desenvolvem ligeiras queimaduras (efeito de lupa das gotículas de água).

Regra n.º 5: Forneça a quantidade certa de água

Regar de acordo com as necessidades significa que a água deve chegar às raízes em quantidade suficiente. Quantidades demasiado baixas de água cobrem frequentemente apenas alguns centímetros da parte superior da terra – ou nem chegam a fazer isso, por exemplo, quando existe uma mistura de matéria orgânica a cobrir a terra e muito pouca irrigação. Regar de acordo com as necessidades também significa que as plantas cultivadas são particularmente dependentes de terra uniformemente húmida até ao momento em que estão prontas para serem colhidas (exemplos: formação de raízes e bolbos [cenouras, batatas], folhas [manjericão, alface-de-cordeiro], botões [couve-flor, alface], cascas [feijões] ou frutos [tomate, fruta]).

Regra n.º 6: Regue com grandes quantidades de água por partes

A água demora algum tempo a penetrar na terra. Antes que a preciosa água do canteiro seja desperdiçada, é melhor regar por partes e repetidamente.

Regra n.º 7: Regue os seus alvos, mas distribua a água

Regar sempre apenas uma parte da raiz faz com que esta cresça apenas desse lado, o que resulta em menor absorção dos nutrientes no solo. Por isso, regue sempre à volta da planta e distribua a água por toda a área de irrigação.

Regra n.º 8: Regue de forma a poupar água

Regue com a quantidade necessária e o mínimo possível. Pode simplificar o processo com um sistema de rega automática com sensor de humidade – no canteiro, na varanda e no relvado.

Regra n.º 9: Evite encharcamento

O encharcamento retira o ar respirado pelas raízes da terra – as células das raízes afogam-se sem oxigénio.

Regra n.º 10: Utilize terra de qualidade e rica em argila

A terra para plantas rica em minerais da argila possui melhores propriedades de expansão e consegue, assim, manter a água na terra de forma mais eficaz e uniforme. Em verões húmidos e no inverno, assegure-se de que a água é drenada para evitar encharcamento.

Comments