Utilizamos cookies para aprimorar sua experiência em nosso website. Ao continuar navegando por este website, você concorda com o uso de cookies. Para saber mais, leia Cookies

Azevinho – um parasita misterioso

Antigamente, esta planta era a erva maravilhosa dos druidas celtas. Hoje, é não só uma promissora planta medicinal mas também um acessório natalício popular: azevinho. Os seus frutos brancos asseguram uma propagação sofisticada da planta.

Porque é que o visco cresce nas árvores?

O termo inglês para visco é 'mistletoe' e está relacionado com a palavra alemã 'Mist', que significa "estrume" – não etimologicamente, mas biologicamente! Se os picoteiros e os tordos não gostassem tanto das bagas brancas deste fascinante habitante das árvores, este não se espalharia tanto. Porque, sempre que estes ávidos pássaros afiam os seus bicos num ramo ou deixam para trás as suas fezes, as sementes do visco podem aderir à madeira da sua futura árvore anfitriã. Assim que as sementes começam a rebentar, uma jovem planta de visco aparece silenciosamente. É um semi-parasita e desvia água e minerais que a árvore vai buscar ao solo. Decorrido um ano, a planta, que emerge sobre as árvores desprotegidas no Inverno como uma generosa esfera verde suspensa entre o céu e a terra, é considerada pelos povos germânicos uma planta medicinal. No passado, nomes como erva dos druidas, foligem do diabo, cura-todos, broto de ouro e vassoura de bruxa foram dados a esta erva mágica para todos os fins. Enquanto os nossos antepassados penduravam ramos de visco na parede como protecção contra espíritos malignos, esta planta venenosa faz actualmente grande sucesso como planta medicinal devido aos seus efeitos curativos. É muitas vezes utilizada para reduzir a pressão sanguínea e para tratar queixas comuns nos idosos e até mesmo em alguns cancros.

Desde a tradição até à moderna decoração natalícia

Os ingleses acreditam que beijar alguém debaixo de visco ou azevinho no Natal dá sorte. Este hábito é oriundo do Reino Unido mas tem sido também popularizado na Alemanha. Os ramos decorativos do arbusto de folha perene podem ser utilizados como decoração do Advento ou Natal desde Novembro. Basta reunir alguns ramos de visco e azevinho e atá-los com um laço vermelho e branco. Uma coroa feita de pinhas, visco e hera rodeada de bagas brancas e vermelhas também demonstra um genuíno apontamento ornamental. O efeito mágico das bagas constitui uma vantagem se dividir as ramadas em pequenos ramos soltos e os colocar em jarras de vidro simples.

Sugestão da GARDENA: o visco prefere crescer em ramos jovens na parte de cima da copa das árvores. Como semi-parasita, perturba o crescimento das árvores anfitriãs, que ficam sensíveis em resultado de estarem a ser despojadas de água e nutrientes. Como consequência, em caso de infestação, o jovem visco deverá ser retirado imediatamente cortando-o o mais rente possível. Em seguida, trate a área com unguento.

Comments